No Timor-Leste, Ban debate futuro do país após retirada das Nações Unidas BR

No Timor-Leste, Ban debate futuro do país após retirada das Nações Unidas

Secretário-Geral terminou, nesta quarta-feira, primeiro dia da viagem oficial ao país de língua portuguesa, no sudeste da Ásia; no encerramento, Ban conhecerá uma escola primária em Liquiça.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas estão discutindo com o Timor-Leste, o futuro da cooperação com o país após a saída das forças de paz da ONU, marcada para dezembro.

Nesta quarta-feira, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, encontrou-se com o presidente do Timor, Taur Matan Ruak, e outras autoridades da nação de língua portuguesa, no sudeste da Ásia.

Independência

Segundo Ban, a recomendação é de que o Timor não precisa mais das forças da ONU na forma da atual missão, Unmit. O país restaurou sua independência em 2002, após duas décadas de anexação pela vizinha Indonésia.

O Secretário-Geral citou alguns avanços da presença da ONU no Timor ao falar sobre o fortalecimento da polícia local e do papel da mesma nas eleições do Timor este ano.

Estabilidade Política

Para Ban, no entanto, o Timor-Leste ainda tem desafios, e por isso debateu com o presidente Taur Matan Ruak, como as Nações Unidas devem cooperar com o país após a retirada da Missão.

Ele lembrou o sucesso sócio-econômico do Timor e a estabilidade política.

Nesta quinta-feira, Ban visitará uma escola primária no distrito de Liquiça acompanhado do enviado da ONU para educação, o ex-primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.