Perspectiva Global Reportagens Humanas

Atraso na composição do Parlamento Somali preocupa Nações Unidas

Atraso na composição do Parlamento Somali preocupa Nações Unidas

Secretário-Geral condena intimidação na Somália e pede que não haja ameaças ao êxito da transição, que termina a 20 de Agosto.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU disse esta terça-feira, que está seriamente preocupado com os atrasos verificados na composição do novo Parlamento Somali.

Em comunicado, Ban Ki-moon condena os atos de intimidação e de violência ocorridos recentemente, e pede que estes não permitam que seja ameaçado o êxito da transição, que termina a 20 de Agosto.

Parlamento

O Roteiro para o Fim da Transição, elaborado em Setembro passado, prevê que  275 membros do Parlamento sejam eleitos até prazo, com o apoio  de um comité técnico de seleção. A etapa faz parte do processo de paz e de reconciliação nacional no país, sem governo funcional desde 1991.

Em comunicado, Ban convida a liderança política da Somália, os anciãos tradicionais e outras partes a superarem as suas diferenças e atuar no melhor interesse do povo somali.

Intimidação

Por outro lado, o representante do Secretário-Geral para o país do Corno de África, Augustine Mahiga, apontou a ocorrência de atos de intimidação, corrupção ou de influência para “comprometer” o fim da transição.

Mahiga considerou que durante os últimos 10 meses várias categorias de elementos atuaram com interesse de manter ou estender a situação atual.

Sanções

O representante citou organizações, incluindo a  União Africana e o Conselho de Segurança que podem “impor sanções para os que estejam  identificados como estando por detrás dos retrocessos.”

Iniciada em 2004, a transição na Somália deveria acabar em 2008, mas foi prorrogada até 2010 antes de uma nova extensão para este ano.