Justiça somali nunca foi notificada sobre assassinato de jornalistas, diz ONU

Justiça somali nunca foi notificada sobre assassinato de jornalistas, diz ONU

Representante Especial do Secretário-Geral reagiu ao assassinato de dois profissionais da imprensa, ocorrido neste domingo em Mogadíscio.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O representante especial do Secretário-Geral da ONU para a Somália, considerou inaceitável que o setor da justiça não tenha sido notificado de nenhum assassinato de jornalistas ocorrido no país.

Um  comunicado foi publicado, esta segunda-feira, por Augustine Mahiga em reação ao assassinato, em ocasiões diferentes, de dois profissionais da imprensa neste domingo na capital, Mogadíscio.

Websites

Trata-se de Yusuf Ali Osman, diretor de Relações com a Imprensa do Ministério da Informação, Correios e Telecomunicações e de Mohamed Ali, repórter de um periódico e colaborador de vários websites.

Os assassinatos ocorreram dez dias após o representante ter considerado que o progresso relativamente à investigação de crimes contra profissionais era “pouco ou mínimo.”

Na ocasião, Augustine Mahiga indicou que pelo menos um jornalista é assassinado por mês na Somália.