Chefe do PMA aborda “operações complexas” no Sudão e no Sudão do Sul

Chefe do PMA aborda “operações complexas” no Sudão e no Sudão do Sul

Cerca de 4 milhões de deslocados devido a conflitos e à desnutrição crónica recebem assistência alimentar no Sudão; uma série de lançamentos aéreos para sul-sudaneses estão programados para as próximas semanas. 

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A diretora executiva do Programa Mundial da Alimentação, PMA, Ertharin Cousin, está desde esta segunda-feira no território sudanês no início de um périplo que a deve levar igualmente ao Sudão do Sul.

Para a agência, o Sudão é uma das suas “maiores e mais complexas operações”. Mais de 4 milhões de deslocados devido a conflitos e à desnutrição crónica recebem assistência alimentar no país.

Lançamentos Aéreos

No Sudão do Sul, o PMA  diz pretender alcançar 2,9 milhões de pessoas ainda este ano, tendo programado uma série de lançamentos aéreos para as próximas semanas.

O PMA presta assistência a 330 mil pessoas das comunidades sul-sudanesas e a retornados, com programas de apoio alimentar e treinamento em habilidades que resultaram na construção de infraestruturas comunitárias.

Refugiados

Em plena época chuvosa, o objetivo é abranger refugiados com necessidade urgente de alimentos em comunidades e assentamentos  considerados de difícil alcance.

Nos dois países, Cousin deve abordar funcionários governamentais, representantes dos doadores e funcionários do PMA.