Plano de ação visa acabar com morte e mutilação de crianças na Somália

9 agosto 2012

Iniciativa foi firmada entre o governo somali e as Nações Unidas; cumprimento do plano deve levar o país a ser retirado da lista do Secretário-Geral sobre países que recrutam, usam, mutilam e matam crianças.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Governo Federal de Transição da Somália e as Nações Unidas anunciaram um Plano de Ação para acabar com o assassinato e mutilação de crianças na Somália.

O plano foi firmado, nesta segunda-feira, pelo vice-primeiro-ministro somali, Hussein Arab, e o vice-representante especial da ONU, Petr de Clercq.

Violações

A iniciativa envolve as Forças Armadas da Somália, milícias aliadas e grupos militares.

O representante da ONU pediu aos doadores que apoiem o Governo Somali e as Forças Armadas para ajudar a implementar as medidas que levem ao fim das mortes e das mutilações de crianças no país.

 Direitos

Trata-se do segundo plano firmado entre o governo e a ONU para prevenir violações aos direitos das crianças.

O primeiro,  assinado no mês passado, priorizou o fim do recrutamento e uso de menores pelas Forças Armadas do país.

A implementação completa do plano levará o Governo da Somália a ser retirado da lista do Secretário-Geral sobre países que recrutam, usam, mutilam e matam crianças.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud