Afeganistão continua sofrendo com mortes de civis em conflito BR

Afeganistão continua sofrendo com mortes de civis em conflito

Mesmo com queda de 15%, nos últimos seis meses, mais de 3 mil pessoas morreram ou ficaram feridas em combates no país; cerca de 30% das vítimas são mulheres e crianças.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório da Missão das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, revela que o número de mortos e feridos no conflito do país continua alto.

De janeiro a junho deste ano, 3099 pessoas ficaram feridas ou mortas no conflito afegão. O número representa uma queda de 15%, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Explosivos Improvisados

Segundo o relatório semestral sobre Proteção de Civis e Conflito Armado, 1145 pessoas morreram e 1954 ficaram feridas. Cerca de 30% são mulheres e crianças.

O vice-chefe da Unama, Nicholas Haysom, disse que a ONU elogia a redução no número de vítimas, mas lembra que as crianças, mulheres e homens afegãos continuam sendo mortos “em níveis alarmantes.”

Ele pediu a todos envolvidos no conflito que aumentem a proteção de civis e respeitem a vida humana.

O relatório indica que elementos contrários ao governo do Afeganistão estariam por trás de 80% das mortes de civis.

Explosivos improvisados continuam sendo a maior arma do conflito.