OMS alerta sobre escassez de remédios na Síria devido à crise política
BR

7 agosto 2012

Segundo agência da ONU, país produz 90% de seus próprios medicamentos e produtos farmacêuticos. 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que está “profundamente preocupada” com a situação da população na Síria.

Segundo a agência, o país está sofrendo com escassez de medicamentos por causa da insegurança gerada com a violência política.

Aumento do Preço

De acordo com a OMS, a Síria produz 90% de seus medicamentos, mas as sanções, o aumento do preço do combustível e a falta de matéria prima estão dificultando a produção de remédios.

Uma das maiores dificuldades é o acesso aos pacientes. Faltam remédios para tratar tuberculose, hepatite, hipertensão, diabetes e outras doenças.

Apesar de a OMS está enviando remédios à Síria, a agência não tem como atender a demanda com a falta de unidades de saúde.

A assistência humanitária está sendo feita através de 11 agências e 7 escritórios espalhados por oito cidades.

Ao todo, são mais de mil trabalhadores humanitários. O financiamento da operação ainda é um desafio. Apenas 36% dos cerca de R$ 300 milhões pedidos, foram entregues até agora.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud