Assembleia Geral aprova resolução condenando conflito na Síria
BR

3 agosto 2012

Em sessão nesta sexta-feira, Secretário-Geral reafirma que pressão internacional pode fazer a diferença; Assembleia Geral vota proposta de resolução sobre a violência no país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A Assembleia Geral aprovou nesta sexta-feira, com 133 votos a favor, uma resolução condenando a situação de violência na Síria.

Na sessão, em Nova York, o Secretário-Geral da ONU afirmou que o conflito no país é um teste para tudo o que a organização representa. Ban Ki-moon disse não querer que as Nações Unidas falhem nesse teste.

Pressão 

Para Ban Ki-moon, a pressão internacional pode fazer a diferença e o povo sírio precisa de ação. O Secretário-Geral lembrou que o “sofrimento deles é profundo” e disse que os “atos de brutalidade podem ser considerados crimes de guerra ou contra a humanidade.”

Ban afirmou ainda que o mais “trágico sobre a Síria é que a catástrofe poderia ter sido evitada.”

Renúncia

O encontro na Assembleia Geral ocorreu um dia após a renúncia do enviado especial da ONU e da Liga Árabe ao país, Kofi Annan. A resolução passou, com 12 votos contra e 31 abstenções.

Na sessão, o representante da Síria, Bashar Ja’afari, condenou os Estados que estariam fornecendo armamentos para o que ele chamou de “grupos terroristas” no país.

Fontes não-governamentais afirmam que o total de mortos no país pode ser de até 15 mil.  Nos últimos dias, opositores e forças do governo têm travado um confronto pela cidade mais populosa da Síria, Alepo.

Os ataques também ocorrem na capital Damasco, e na cidade de Hama, uma das primeiras a serem atingidas pela violência política.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud