Guterres fala de deslocados devido a razões de direitos humanos no Mali

3 agosto 2012

Alto comissário da ONU para Refugiados indica que o exército maliano retirou-se completamente o norte; Acnur recebeu menos de um terço do valor necessário para os refugiados e deslocados disvido ao conflito.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O alto comissário da ONU para Refugiados disse que apesar da ausência de confrontos no Mali, o país carece de auxílio para impulsionar a operações de ajuda aos deslocados.

Em declarações a jornalistas, esta sexta-feira, no fim da sua visita à capital burquinesa, Ouagadougou, António Guterres, disse que, embora em pequena escala, ocorrem fugas de malianos por razões ligadas aos direitos humanos.

Crise

Um apelo foi lançado à comunidade internacional para que sejam empreendidos esforços adicionais, com vista a combater a crise humanitária e aumentar o apoio às operações de auxílio, actualmente a operar abaixo dos montantes necessários.

Mais de 250 mil pessoas fugiram do país nos últimos seis meses, devido aos combates entre as forças governamentais, rebeldes tuaregues e vários grupos armados.

Exército

De acordo com o alto comissário, o exército maliano retirou-se completamente do norte do país, agora controlado por rebeldes.

A agência recebeu US$10 milhões dos Estados Unidos e contribuições de outros doadores no total de US$ 49,9 milhões. As necessidades para dar apoio aos refugiados e deslocados internos malianos estão orçadas em US$ 153 milhões.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud