Enviado da ONU apela a Iraque para evitar violência a exilados do Irã BR

Enviado da ONU apela a Iraque para evitar violência a exilados do Irã

Pedido foi feito durante encontro com representantes do governo iraquiano; mais de mil iranianos vivem em acampamento do país vizinho.

[caption id="attachment_217825" align="alignleft" width="350" caption="Martin Kobler"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O representante especial das Nações Unidas para o Iraque, Martin Kobler, pediu ao governo do país que proteja cerca de mil exilados do Irã que vivem em território iraquiano.

Durante um encontro com representantes do governo, em Bagdá, Kobler disse que as autoridades devem evitar o uso da violência para resolver a situação dos iranianos que vivem no acampamento Novo Iraque, também conhecido como campo Ashraf.

Processo

Para ele, a saída dos exilados tem avançado, desde fevereiro, e não deve haver riscos para os iranianos. Ele afirmou que a ONU não poupará esforços para cumprir “essa missão humanitária.”

Em comunicado, o enviado lembrou que tem participado de várias reuniões para solucionar a questão. Muitos moradores do acampamento são membros de um grupo conhecido como “Mujahedin do Povo do Irã”.

Em dezembro, foi assinado um memorando de entendimento pela ONU e pelo Iraque para reassentar os exilados em um outro acampamento, perto de Bagdá. Cerca de 1,3 mil pessoas estão esperando o processo para serem consideradas refugiadas pela agência da ONU nesta área, Acnur.

Gesto Humanitário

Martin Kobler disse que a próxima fase de transferência deverá se dedicar a crianças e pessoas frágeis. O enviado também apelou a outros países que aceitem os iranianos como um gesto humanitário.

O Acnur está pedindo apoio financeiro para transferir as pessoas e cobrir os gastos com alojamento e processamento de outros trâmites associados à transferência.

*Apresentação: Leda Letra.