Três lusófonas aconselham Ban Ki-moon sobre agenda global pós-2015

Três lusófonas aconselham Ban Ki-moon sobre agenda global pós-2015

A moçambicana Graça Machel, a brasileira Vanessa Petrelli Corrêa e a governante timorense Emília Pires, fazem parte do Painel de Alto Nível composto por 26 membros anunciado esta terça-feira.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. A ativista moçambicana pelos direitos humanos e mulher do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, Graça Machel, vai integrar um painel internacional sobre a agenda de desenvolvimento global pós-2015.

O grupo, de 26 membros, deve aconselhar o Secretário-Geral sobre o plano global para o período posterior ao limite para o cumprimento das metas de combate à pobreza, designados Objetivos de Desenvolvimento do Milénio.

Brasil e Timor-Leste

Anunciado esta terça-feira pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon,  em Nova Iorque, o painel integra também a presidente do Instituto de Pesquisa Económica Aplicada do Brasil , Vanessa Petrelli Corrêa, e a ministra das Finanças de Timor-Leste, Emília Pires.

Em comunicado, Ban disse ter pedido que o coletivo elabore uma visão de desenvolvimento “arrojada e prática” para que seja apresenta aos Estados-Membros no próximo ano.

Chefes de Estado

Os co-presidentes do Painel de Alto Nível serão os chefes de Estado da Libéria Ellen Johnson Sirleaf, da Indonésia Susilo Bambang Yudhoyono e o primeiro-ministro britânico David Cameron.

A representar África estão igualmente a ministra nigeriana de Finanças, Ngozi Okonjo-Iweala, o conselheiro económico do presidente do Benim, Fulbert Gero Amoussouga, e a  líder da Associação dos Industriais do Quénia,  Betty Maina.

Desenvolvimento

O primeiro encontro dos painelistas está agendado para Setembro, à margem da Assembleia Geral da ONU.

O Secretário-Geral manifestou ansiedade em receber as recomendações com responsabilidades partilhadas para todos os países e que estejam centradas na luta contra a pobreza e no desenvolvimento sustentável.