OIT: Mulheres do setor público têm mais risco de perder emprego
BR

31 julho 2012

Estimativa é voltada para países da União Europeia, onde postos de trabalho estão sendo fechados por políticas de austeridade; na França e Irlanda, até 50% das mulheres dependem de empregos na área pública.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

As mulheres que trabalham no setor  público em países da União Europeia estão sendo muito afetadas pelos cortes em empregos, salários e benefícios. A afirmação é da Organização Internacional do Trabalho, OIT.

Em estudo recente sobre o setor público europeu, a OIT ressalta que o corte de vagas irá prejudicar progressos rumo à igualdade de gênero.

Medidas

Segundo a agência, geralmente as mulheres encontram mais e melhores empregos no funcionalismo público, por isso, elas são as mais afetadas quando governos implementam medidas de austeridade.

O estudo da OIT mostra que mulheres na França, Irlanda, Holanda, Suécia e Grã-Bretanha são as que tem mais a perder. Naqueles países, até 50% das profissionais dependem de empregos públicos, geralmente em cargos de alto nível.

Escolaridade

Na Europa, as mulheres estão mais representadas no setor público. Na Grã-Bretanha, 28% das funcionárias públicas têm um bom nível de educação, enquanto no setor privado, o total é de 18%.

A OIT também afirma que em geral, a diferença de salários entre homens e mulheres na União Europeia é menor na área pública do que em outros setores.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud