Civis pagam o preço pelo aumento da violência na RD Congo, alerta o Ocha

30 julho 2012

Escritório das Nações Unidas para a Assistência Humanitária fala da situação de deslocados internos e externos, nas vésperas de um encontro do Conselho de Segurança para discutir a missão no país.

[caption id="attachment_209889" align="alignleft" width="350" caption="Forças da Monusco"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Os civis pagam “o preço alto” pelo aumento da violência na República Democrática do Congo, RD Congo, refere o Escritório das Nações Unidas para a Assistência Humanitária, Ocha.

O alerta foi feito, esta segunda-feira, nas vésperas de um encontro no Conselho de Segurança que deve debater a Missão da ONU no país, Monusco.

Exército

Um relatório do escritório indica que somente na província do  Kivu Norte, mais de 220 mil pessoas foram deslocadas desde Abril, devido à situação de insegurança.

As forças de manutenção de paz da missão oferecem assistência ao exército, que combate militares renegados do grupo M23. Mais de meio milhão de deslocados já fugiram para as outras províncias do leste e para países vizinhos.

Estima-se que o Uganda e o Ruanda tenham acolhido mais de 54 mil refugiados, numa situação caracterizada pelo grande movimento de pessoas nos territórios de Rutshuru e Walikale.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud