Presidente de comitê da ONU quer aumentar acesso de mulheres à justiça
BR

27 julho 2012

Silvia Pimentel, que lidera a Comissão para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação a Mulheres, disse que “não basta ter leis, é preciso garantir a implementação delas.”

[caption id="attachment_215036" align="alignleft" width="350" caption="Acesso feminino à justiça ainda é um problema"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Aumentar o acesso das mulheres aos serviços de justiça, em todo o mundo. Esta é a proposta da jurista brasileira, Silvia Pimentel.

Em seu terceiro mandato como membro da Comissão das Nações Unidas para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação a Mulheres, Cedaw, Silvia Pimentel disse que o maior acesso feminino à justiça ainda é um problema.

Mentalidades

“Não basta mudar as leis. Nós precisamos mudar as mentalidades de toda uma sociedade, mas nós precisamos também, a partir do próprio Estado, oferecer às mulheres condições de acesso à justiça. No caso de elas terem desrespeitadas aquelas leis. Não só no Brasil, no mundo todo, nós vemos este movimento. O grande problema está na implementação.”

Silvia Pimentel é a atual presidente da Cedaw, nas Nações Unidas. Em junho, ela foi reeleita para um terceiro mandato de quatro anos, como membro da comissão.

A atual sessão da Cedaw, que está analisando os direitos das mulheres em oito países, termina nesta sexta-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud