Agência da ONU condena ataque a israelenses na Bulgária BR

Agência da ONU condena ataque a israelenses na Bulgária

Em nota, secretário-geral da Organização Mundial do Turismo enviou os pêsames às famílias das vítimas; pelo menos cinco israelenses teriam morrido no atentado, nesta quarta-feira, que também matou o motorista e o homem-bomba.

[caption id="attachment_208740" align="alignleft" width="350" caption="Ban Ki-moon"]

Mônica Villela Grayle e Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial do Turismo, OMT, condenou o ataque suicida que matou pelo menos sete pessoas, entre elas cinco israelenses, em frente ao Aeroporto de Burgas, na Bulgária, nesta quarta-feira.

Segundo agências de notícias, os turistas israelenses tinham acabado de aterrissar de um voo de Tel Aviv, e estavam embarcando num ônibus fretado, quando a bomba explodiu. Mais de 30 pessoas ficaram feridas.

Setor de Paz

O atentado foi condenado também, com veemência, pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Em entrevista à Rádio ONU, de Madri, a vice-secretária-geral da OMT, Sandra Carvão, disse que o turismo é um setor de paz e que repudia o terrorismo.

“O que realmente podemos dizer é que, tendo em conta a  situação e a informação que dispomos, choca-nos profundamente  que tenha sido utilizado um autocarro. Além disso, consideramos que o turismo é a indústria da paz porque, realmente, permite que as pessoas se conheçam melhor e criem mais vínculos entre elas e que tenha sido utilizado para estes fins”, afirmou.

Até o momento, nenhum grupo assumiu a autoria do atentado. De acordo com a mídia búlgara, o homem-bomba teria usado um documento falso de identificação para se aproximar do ônibus.

As polícias de Israel e da Bulgária estão investigando o caso.