Cineastas lusófonos no debate sobre promoção da cultura africana

16 julho 2012

Continente é representado por profissionais da sétima arte de Angola, Cabo Verde e Moçambique; evento junta 50 representantes de África, do Brasil e das Caraíbas.

[caption id="attachment_216386" align="alignleft" width="350" caption="Cinema e cultura africana em destaque "]

Camilo Malheiros Freire, da Rádio ONU em Nova Iorque. *

Quatro cineastas de Angola, Cabo Verde e Moçambique representam os seus países no debate internacional sobre a promoção da influência da cultura africana no cinema mundial.

O tema será abordado até quarta-feira, por um grupo de 50 profissionais da indústria, reunido no segundo Encontro de Cineastas da África, do Brasil e das Caraíbas, na capital da República Dominicana, Santo Domingo.

Motivações

A Rádio ONU falou com o participante brasileiro João Zito Araújo, que explicou as motivações por detrás do evento, co-organizado pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco.

“O cinema, mais preocupado com o mercado, tende a repetir estereótipos dentro de um contexto mais tradicional, em que a maior parte dos personagens são brancos e que não reflete a cara do povo das ruas. Então, por isso, eu acho esse encontro importante. Ele tem esse objetivo de buscar estabelecer políticas comuns para que a gente consiga mudar essa realidade”, referiu.

Diversidade

O evento, que junta 26 países, enfatiza a promoção da diversidade cultural, além de demonstrar como a cultura pode contribuir com o desenvolvimento sustentável.

Os profissionais do ramo pretendem, igualmente, abordar formas eficazes para produzir e disseminar a sétima arte de origem africana e afrodescendente no mundo.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud