OIM melhora acampamento para migrantes zimbabueanos na África do Sul

OIM melhora acampamento para migrantes zimbabueanos na África do Sul

Iniciativa beneficia crianças e mulheres migrantes na vila fronteiriça de Musina; iniciativa é financiada pela União Europeia.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque

.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou a construção de mais abrigos para zimbabueanos estacionados na fronteira entre o país e a África do Sul.

O projeto, lançado esta sexta-feira, deve beneficiar 120 menores não acompanhados e 50 mulheres migrantes na vila fronteiriça de Musina. A agência aponta que a iniciativa, orçada em US$ 200 mil, é financiada pela União Europeia.

Entrada

No principal ponto de entrada imigrantes para a África do Sul também serão reabilitadas salas e locais de alojamento, além de serem construídas cozinhas e instaladas infraestruturas de água e saneamento.

De acordo com a agência, muitas crianças abandonaram as suas famílias ou perderam o contacto durante a deslocação para a fronteira.

Abusos

O projeto faz parte da assistência mais ampla da IOM que prevê as aumentar capacidades de acolhimento na África do Sul. O objetivo é gerir a migração rural e urbana além de permitir a integração dos migrantes na sociedade.

De acordo com a delegação da OIM na África do Sul menores não acompanhados foram vítimas de abuso durante muito tempo. Por outro lado, mulheres e outros imigrantes vulneráveis passaram por humilhantes condições de vida em Musina.

Além de oferecer abrigo, o escritório da OIM em Musina também deverá garantir a proteção e assistência às famílias de migrantes.