Políticas rigorosas sobre alimentação podem reduzir mortes em 20% BR

Políticas rigorosas sobre alimentação podem reduzir mortes em 20%

Afirmação do estudo publicado pela Organização Mundial da Saúde está relacionada às mortes por doenças do coração; medidas de governos para alimentação mais saudável poderiam salvar até 30 mil vidas por ano.

[caption id="attachment_219423" align="alignleft" width="350" caption="Recomendado consumo diário de frutas e vegetais"]

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Um estudo publicado pela Organização Mundial da Saúde, OMS, afirma que políticas de governo favoráveis a uma alimentação saudável podem reduzir em 20% as mortes por doenças do coração.

O levantamento cita medidas como a suspensão de produtos com gorduras trans, redução da ingestão de gorduras saturadas e de sal nos alimentos.

Dieta

Segundo a OMS, a promoção do consumo de frutas e vegetais poderia salvar 30 mil vidas por ano na Grã Bretanha e no Norte da Irlanda. O estudo ressalta que o índice de mortes por doenças do coração é duas vezes maior entre pessoas que tem uma dieta rica em gorduras, calorias, sal, comidas processadas e sopas em lata.

Políticas para reduzir o consumo diário de sal de 8,6 gramas para 5,6 gramas poderiam salvar 7 mil vidas. Já a adição de três porções diárias de frutas e vegetais poderiam prevenir 7,4 mil mortes, aponta o estudo.

Índices

Os autores da pesquisa lembram que políticas severas dos governos podem ter um impacto mais rápido e significativo na saúde das populações. Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia são citados entre os países que introduziram as medidas sugeridas e tiverem redução nos índices de mortes cardiovasculares.

Para o diretor de Nutrição da OMS, Francesco Branca, o estudo fornece apoio para a meta de reduzir, até 2025, a mortalidade por doenças crônicas em 25%.