Timorenses vão às urnas, neste sábado, escolher novo Parlamento do país
BR

6 julho 2012

Segundo a mídia local, mais de 20 partidos participam das eleições legislativas; em entrevista à Rádio ONU, um dos organizadores do pleito disse que nação lusófona quer aumentar presença feminina na política.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Os eleitores do Timor-Leste vão às urnas, neste sábado, para escolher seus novos parlamentares.

Mais de 20 partidos participam da corrida pelos 65 assentos do Parlamento em Díli. As Nações Unidas estão prestando apoio logístico à votação, que será a terceira eleição legislativa do país.

Coalizão

Em 2007, o Congresso Nacional para Reconstrução do Timor-Leste formou uma coalizão que resultou na indicação do ex-presidente Xanana Gusmão ao cargo de primeiro-ministro.

O Timor-Leste, uma nação de língua portuguesa no sudeste da Ásia, tornou-se independente em 2002.

A campanha para as eleições deste sábado foram encerradas na quarta-feira.

Em entrevista à Rádio ONU, de Díli, o diretor-geral do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral do Timor-Leste, Tomás Rosário Cabral, falou sobre o papel das mulheres na política timorense.

Representação

“A participação política das mulheres timorenses forma um número significativo. Um Parlamento com 33% significa que estamos a avançar também com o número do governo. Agora estamos a preparar para o legislativo a representação das mulheres.”

Segundo a mídia local, o Timor-Leste tem mais de 600 mil eleitores. Em maio, um novo presidente, Taur Matan Ruak, foi empossado no cargo após as eleições presidenciais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud