Unesco anuncia fundo para preservar sítios no Mali

3 julho 2012

Grupo de 21 membros reunido na sessão anual na cidade russa de São Petersburgo condena destruição de locais incluindo a lendária cidade de Timbuktu.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Comité do Património Mundial anunciou, esta terça-feira, a ideia de criação de um fundo especial para ajudar a conservar  sítios malianos declarados “Património da Humanidade”.

A medida faz parte de um leque da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Unesco, com vista a ajudar o país da África Ocidental a proteger os locais.

Património

Em nota, o grupo de 21 membros reunido na sessão anual na cidade russa de São Petersburgo, condena a destruição de locais incluindo a lendária cidade de Timbuktu.

A declaração deplora veementemente os atos de destruição de mausoléus no recinto do Património Mundial de Timbuktu e pediu o fim das ações.

Rebeldes

Combates entre forças governamentais e rebeldes tuaregues ocorrem no norte do Mali, desde Janeiro. Cerca de 320 mil pessoas já fugiram da região devido à instabilidade e  insegurança como resultado de novos confrontos.

Durante os séculos 15 e 16, Timbuktu foi a capital intelectual, espiritual e um centro de propagação do Islão de todo o continente africano.

Destruição

No princípio deste ano, os rebeldes teriam sido responsáveis por saques  de centros contendo milhares de livros antigos e documentos de Timbuktu. A Unesco cita relatos da destruição dos túmulos sagrados de Sidi Mahmoud, Moctar Sidi e Moya Alpha.

 A Comissão implementa a Convenção do Património Mundial da Unesco, que define os sítios naturais ou culturais que podem ser considerados para serem inscritos na lista mundial.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud