Fortificações de Elvas, em Portugal, torna-se Patrimônio Mundial
BR

30 junho 2012

Sítio fortalecido entre os séculos 17 e 19 concentra dentro de suas paredes casernas e outras construções militares além de igrejas e mosteiros.

[caption id="attachment_219182" align="alignleft" width="350" caption="Vista do Forte da Graça. Foto: Município de Elvas. "]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, transformou, neste sábado, as Fortificações de Elvas, em Portugal, como Patrimônio Mundial.

A decisão foi anunciada na reunião da Unesco que ocorre na cidade de São Petersburgo, na Rússia.

Portugal e Espanha

Segundo a agência da ONU, Elvas contêm dados arqueológicos do século 10. Mas a fortificação do sítio ocorreu somente a partir de 1640, quando Portugal se separou da Espanha, após 80 anos de união.

As fortificações de Elvas incluem casernas e outras instalações militares, além de igrejas e mosteiros. O trabalho de fortalecimento do local foi feito entre os séculos 17 e 19.

Segundo a mídia portuguesa, Elvas formam “a maior fortaleza-baluarte da Europa.”

A Unesco informou que as fortificações foram obra do jesuíta holandês, João Piscário, e que elas representam “o melhor exemplo vivo da escola de forticações holandesas.”

Vários outros sítios também passaram a Patrimônio Mundial, neste sábado, incluindo a “Mesquita da Sexta-Feira”, de Isfahã, no Irã, e a Indústria da Pérola Tradicional, do Barein.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud