Karadzic tenta se livrar de 11 acusações, mas tribunal rejeita pedido

28 junho 2012

Uma nota do Tribunal para a Antiga Jugoslávia aponta que foram mantidas 10 acusações contra o antigo líder sérvio-bósnio; estima-se que pelo menos 8 mil homens e rapazes bósnios muçulmanos morreram Srebrenica.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Jugoslávia indeferiu o pedido de anulação de todas as acusações contra o antigo líder sérvio-bósnio, Radovan Karadzic.

A série de 11 acusações contra o ex-presidente inclui crimes de guerra e contra a Humanidade, cometidos na Bósnia-Herzegovina entre 1992 e 1995. Karadzic, que também era chefe do exército sérvio, nega os crimes.

Massacre

Uma nota do tribunal, sedeado em Haia, indica, que foi retirada a acusação de genocídio na Bósnia-Herzegovina, tendo sido mantida a relativa ao massacre de Srebrenica em 1995.

De acordo com a acusação, os crimes foram cometidos entre Março e Dezembro de 1992 em vários municípios da Bósnia-Herzegovina.

Bombardeamentos

Estima-se que pelo menos 8 mil homens e rapazes bósnios muçulmanos morreram em campanhas de bombardeamentos e ataques contra civis em Srebrenica e Sarajevo, além da tomada de funcionários da ONU como reféns.

Em Julho de 1995, Karadzic foi indiciado e transferido para o TPI, três anos após ter ficado foragido. O julgamento teve início em 2009, e espera-se que seja retomado no próximo mês de Outubro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud