Maior fluxo de armas pode levar a agravamento do conflito na Síria

27 junho 2012

Relatório sobre Direitos Humanos, apresentado esta quarta-feira, culpa tanto por parte das forças do Governo como de grupos armados da oposição.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Há risco de agravamento do conflito na Síria nos próximos meses devido a relatos de fluxo de novas armas e munições, indicou o presidente da Comissão de Direitos Humanos para a Síria.

Na apresentação do relatório sobre o país, esta quarta-feira, em Genebra, Paulo Sérgio Pinheiro referiu que o movimento ocorre tanto por parte das forças do Governo como de grupos da oposição.

Responsabilidade

A seguir às declarações, o enviado especial da ONU e da Liga Árabe à Síria, Kofi Annan, convocou um encontro do Grupo de Ação para a Síria.

A reunião, a decorrer este sábado, em Genebra, junta ministros dos Negócios Estrangeiros dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança mais a Turquia.

Confrontos

A Comissão de Direitos Humanos para a Síria culpa ambas as partes pelo número crescente de violações dos direitos humanos, numa altura em que os confrontos se espalham por todo o país.

O exército sírio e suas milícias aliadas são responsabilizadas pela morte de civis, detenção ilegal e várias formas de tortura.Por outro lado, as forças da oposição foram acusadas de torturar ou executar soldados do governo ou pessoas suspeitas de apoiá-los.

A ONU estima que o conflito, que dura 16 meses, já fez mais de 10 mil mortos e dezenas de milhares de desalojados.

Massacre

A comissão indica que não se pode descartar que as forças leais ao Governo possam ter sido as responsáveis pelo massacre de al-Houla que resultou na morte de mais de 100 pessoas.

No entanto, também considera provável que este tenha sido levado a cabo por forças da oposição ou por um grupo de filiação estrangeira desconhecida.

Paulo Pinheiro pediu à comunidade internacional que não pode deixar de exercer um esforço concertado para pôr fim à violência, defendendo que a militarização da crise será catastrófica para o povo da Síria e da região.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud