Acnur chama atenção para fluxo de refugiados Malianos

Acnur chama atenção para fluxo de refugiados Malianos

Agência alerta para um possível aumento do número de pessoas que atravessam as fronteiras; Mauritânia recebe uma média diária de 460 malianos.

[caption id="attachment_211750" align="alignleft" width="350" caption="Deslocados malianos "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O agravamento da instabilidade levou cerca de 20 mil pessoas a fugir do Mali nas últimas quatro semanas, refere o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

Em conferência de imprensa, esta sexta-feira, em Genebra, a agência alerta para um possível aumento do número de pessoas que atravessam as fronteiras em direção aos vizinhos Burkina Faso, Níger e Mauritânia.

De acordo com o Acnur, a grande preocupação reside no facto de ter recebido apenas 13% dos US$ 153,7 milhões dólares necessários para ajudar deslocados malianos dentro e fora do seu país.

Rebeldes

A crise teve início em meados de Janeiro, após uma ofensiva levada a cabo pelos rebeldes Tuaregue e seus aliados. Em Abril, o movimento assumiu o controle do norte.

Tendo em conta um aumento do fluxo de pessoas em busca de segurança nos países vizinhos, a agência prevê apoiar 440 mil refugiados e deslocados internos até ao fim deste ano.

Confrontos

A Mauritânia recebe uma média diária de 460 pessoas como resultado dos confrontos no Mali. A agência disse que presta assistência a mais de 170 mil refugiados malianos nos três países de destino.

As atividades de educação primária, água, saneamento e abrigo estão muito abaixo os padrões mínimos humanitários, segundo o Acnur.

Com base nos montantes atuais, a agência indica que só é capaz de proporcionar educação para uma em cada quatro crianças malianas abrigadas nos campos de refugiados.