Assistência para Coreia do Norte deve ser imparcial, diz ONU
BR

12 junho 2012

Coordenador residente anuncia apelo de US$198 milhões; cerca de 16 milhões de pessoas sofrem com “insegurança alimentar crônica”.

[caption id="attachment_217744" align="alignleft" width="350" caption="Jérôme Sauvage"]

Camilo Malheiros Freire, da Rádio ONU em Nova York. *

O coodenador residente da ONU para a Coreia do Norte, Jérôme Sauvage, afirmou que a assistência humanitária para o país “não deve depender de questões políticas”.

A ONU apresentou, nesta terça-feira, um pedido de US$ 198 milhões, ou mais de R$ 400 milhões. As necessidades do país incluem comida, água, saneamento e saúde.

Insegurança Alimentar

Em nota à imprensa, Sauvage afirma que o respeito aos conceitos de imparcialidade e neutralidade é “crucial para uma melhora sustentável da condição dos povos”.

O coordenador disse que 16 milhões de pessoas continuam sofrendo com “insegurança alimentar crônica e altos níveis de desnutrição”, além de outras carências básicas. Segundo ele, dois milhões de norte-coreanos estão atualmente recebendo assistência alimentar.

Necessidades Básicas

No ano passado, o país obteve menos da metade do apelo feito pela ONU, e as agências humanitárias não foram capazes de cumprir metas básicas de assistência à população carente, de acordo com o informe.

O objetivo da ajuda humanitária à Coreia do Norte, segundo as Nações Unidas, é mitigar a crise através de assistência básica imediata, e de prover soluções sustentáveis ao longo termo.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud