Cabo Verde quer promover o português na rede de parlamentos em África

4 junho 2012

Deputado José Sanches revela à Rádio ONU a existência de uma proposta para impulsionar papel de deputados do continente no seio da conferência que reúne deputados de todo o mundo.

[caption id="attachment_216944" align="alignleft" width="350" caption="Foto: Unfpa"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cabo Verde quer contribuir para ter o português como língua oficial na rede de parlamentares de todo o mundo, disse o deputado José Sanches.

O parlamentar falou à Rádio ONU após regressar da 5ª. Conferência Interparlamentar sobre a População e Desenvolvimento, Cipd, realizada recentemente na Turquia.

Desenvolvimento

O evento, que decorreu na cidade de Istambul, foi promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a População, Fnuap,  e pelo Fórum Parlamentar Europeu para a População e Desenvolvimento.

José Sanches referiu-se aos planos de divulgação da língua, surgidos após concertações tidas na sua primeira participação no encontro, ao lado de representantes de Portugal e de Moçambique.

Comunicação

“Começar a fazer os primeiros contactos com países dos Palops, sobretudo incentivar os outros países, neste caso, a Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Angola no sentido dos parlamentares desses países comecem a participar para que a língua portuguesa possa vir a fazer parte, também, dos meios de comunicação no Fórum Interparlamentar.”

De acordo com José Sanches, a intenção é ter Cabo Verde na liderança de um movimento que inspire deputados de Países Africanos de Língua Portuguesa, Palop, a abordar questões sobre o continente e o idioma.

Um plano de ação foi aprovado pela Cipd, para além de 2014, com vista a reduzir am taxa de mortalidade materna em todo o mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud