Pillay condena “excesso de força” contra migrantes em fronteiras dos EUA
BR

29 maio 2012

Escritório da alta comissária de direitos humanos da ONU respondeu a questão de um jornalista sobre o caso de um mexicano de 15 anos, morto com um tiro na cabeça, em 7 de junho de 2010.

[caption id="attachment_207947" align="alignleft" width="350" caption="Navi Pillay "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O escritório da alta comissária de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, informou que está “preocupado com o uso frequente da força excessiva” pela polícia da fronteira dos Estados Unidos.

Segundo o porta-voz do escritório, Rupert Colville, os casos estariam ocorrendo contra migrantes do México.

Tiro na Cabeça

Colville fez a declaração ao responder a pergunta de um jornalista, em Genebra, sobre a morte do mexicano Sergio Adrian Hernandez Guereca, de 15 anos. O adolescente foi encontrado morto, com um tiro na cabeça, do lado mexicano da fronteira em 7 de junho de 2010.

De acordo com autoridades de imigração dos Estados Unidos, mais de 56% dos migrantes ilegais do país são do México. Diariamente, cerca de 2 mil pessoas atravessam a fronteira entre os dois países.

Segundo relatos recebidos pelo escritório da alta comissária da ONU, os disparos que mataram o mexicano teriam partido, aparentemente, do lado americano da fronteira.

O escritório da ONU pediu ao governo dos Estados Unidos para assegurar a proteção e o direito à vida dos migrantes.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud