Missão da ONU condena assassinato e ataques a escolas no Afeganistão BR

Missão da ONU condena assassinato e ataques a escolas no Afeganistão

Membro sênior do Conselho de Paz, Maulawi Arsala Rahmani foi morto a tiros em Cabul no domingo; civis morrem em ações de insurgentes contra escolas nas últimas semanas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Missão das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, condenou o assassinato do membro sênior do Conselho de Paz do país. Maulawi Arsala Rahmani foi morto no domingo, na capital, Cabul.

De acordo com agências de notícias, homens não identificados atiraram contra Rahmani, que estava dentro do carro, dirigindo a caminho do trabalho.

Reconciliação

Em nota, a Unama reafirma o seu compromisso em apoiar o processo de reconciliação e envia condolências à família de Rahmani. A missão lembra que ele “trabalhou duro” para promover a paz no Afeganistão desde que foi nomeado senador, em 2005.

A Unama também deplorou ações de insurgentes contra escolas, ocorridas nas última semanas. Oficiais de educação que viajavam pela província de Paktika foram alvo de um ataque, que matou cinco civis e deixou vários outros feridos.

Já no distrito de Khogvani, elementos anti-governo incendiaram uma escola de meninas, destruindo dois prédios e equipamentos.

Violações

A Unama lembrou que os os atos “são uma séria violação à lei humanitária internacional e ao direito das crianças à educação.”

A Missão das Nações Unidas no Afeganistão apelou aos insurgentes que “parem com os ataques abomináveis.”

A Unama pediu ainda ao governo afegão e às forças internacionais que garantam medidas efetivas de segurança para proteger crianças, escolas e professores.