PMA alerta que “já não há tempo a perder” no Níger

7 maio 2012

Diretora executiva do Programa Mundial de Alimentação, PMA, fala de aumentar a consciência sobre crise alimentar e mobilizar apoios para assistência de emergência aos afetados no vizinho Mali.

[caption id="attachment_208837" align="alignleft" width="350" caption="Níger: crise de fome"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas voltaram a advertir para a situação crítica em que vivem milhões de pessoas devido à crise alimentar na região africana do Sahel.

A diretora executiva do Programa Mundial da Alimentação, PMA, Ertharin Cousin, que neste domingo visitou o país, disse que já não há tempo a perder.

Consciência

A representante é acompanhada pelo alto comissário da ONU para Refugiados, António Guterres. Cousin considerou que, atualmente, o mais importante é aumentar a consciência sobre a crise no Níger e mobilizar apoios para assistência de emergência os afetados no vizinho Mali.

Cerca de 15 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar no Sahel, que se estende desde o Oceano Atlântico ao Mar Vermelho.

Temporada

Ela ressaltou que a situação é crítica devido à recente seca que provocou a fome durante os últimos três anos. O Níger está novamente em crise devido à falha de chuvas na última temporada.

Este ano, o PMA lançou um apelo para apoiar 3,3 milhões de nigerinos, com um foco especial em crianças menores de dois anos. Mais de 423 mil pessoas já foram apoiadas através de programas de troca de alimentos pelo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud