Acnur alerta para pressão com refugiados na RD Congo

4 maio 2012

Mais de 19 mil pessoas fugiram de combates entre forças governo e milícias no leste; agência indica ter registado 4,1 mil pessoas, somente nesta quinta-feira.

[caption id="attachment_215526" align="alignleft" width="350" caption="Foto: Acnur"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 19 mil pessoas deixaram o leste da Republica Democrática do Congo, desde domingo,  para fugir aos combates entre forças governo e milícias.

De acordo com o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, a maioria procura abrigo em áreas próximas após intensificação dos combates.

Violência

A ONU indica que a onda de violência está a ser perpetrada pela milícia Mai Mai Sheka, liderada por Ntabo Ntaberi e por forças leais ao general Bosco Ntaganda.

O oficial dissidente já foi indiciado pelo Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra.

Assistência

A agência indica ter registado 4,1 mil pessoas, nesta quinta-feira, que pediram abrigo em Goma, uma cidade do leste e no vizinho Ruanda, onde o Acnur oferece assistência básica.

Nesta quinta-feira, o Conselho de Segurança pediu o desarmamento de todos os grupos no país e o fim das suas operações no leste do país.

Após uma reunião à porta fechada, os membros do Conselho declararam-se preocupados tanto com os ataques como com o fluxo de refugiados para a região.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud