Unicef chama atenção para alegadas violações de menores no Mali

3 maio 2012

Em reação a testemunhos que apontam para alegada prática de violência sexual, rapto e recrutamento de menores, a agência adverte que estas podem ser classificadas como violação a leis internacionais.

[caption id="attachment_215458" align="alignleft" width="350" caption="Foto: Unicef"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O diretor-geral do Fundo da ONU para a Infância, Unicef, Anthony Lake, mostrou-se preocupado com relatos de violações cometidas no Mali.

Um comunicado publicado, esta segunda-feira, pela agência da ONU, refere-se a alegados raptos e violência sexual contra meninas e mulheres no norte do país africano.

Grupos Armados

Os testemunhos, que incluem o alegado uso crianças por grupos armados, foram documentados pela ONG de Direitos Humanos, Human Rights Watch.

A 22 de Março, elementos do exército tomaram o poder após depor o presidente Amadou Toumani Touré. Por outro lado, rebeldes Tuaregue e seus aliados assumiram o controle de três províncias do norte.

Patrulhas

Agências noticiosas indicam terem havido tiros na capital maliana, Bamaco,  na quarta-feira, o terceiro dia de patrulhas da junta militar. Vários moradores em pânico fugiram do centro da cidade.

No pronunciamento, o Unicef adverte que os actos podem ser classificados como uma violação ao Direito Internacional Humanitário e constituir crimes de guerra.

Anthony Lake pediu a cessação da violência e maior atenção para a situação tanto do Mali como à da região do Sahel.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud