Após casos em Gaza, FAO quer evitar alastramento da febre aftosa no Oriente Médio
BR

2 maio 2012

Agência da ONU teme que doença se espalhe também para o norte da África; surtos da variante SAT2 também já foram notificados no Egito e na Líbia, em fevereiro.

[caption id="attachment_215369" align="alignleft" width="350" caption="Foto: FAO"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, alertou para o risco de um surto de febre aftosa no Oriente Médio e no norte da África. O anúncio foi feito após a doença ter sido notificada na Faixa de Gaza, nos territórios palestinos.

Em comunicado, emitido nesta quarta-feira, a FAO disse que é preciso intensificar esforços evitar um alastramento na região.

Rebanhos

Em fevereiro, uma variante da febre aftosa, SAT2, foi registrada no Egito e na Líbia. O receio de que a doença se espalhasse para as áreas vizinhas foi confirmado com a notificação de casos em animais em Rafah, a cidade localizada na fronteira de Gaza com o Egito.

A doença está afetando os rebanhos que ainda não são resistentes à nova variante.

O veterinário-chefe da FAO, Juan Lubroth, lembrou que “as doenças não respeitam fronteiras internacionais”. Segundo ele, a febre aftosa pode se espalhar por todo o Golfo, chegando ainda a países no sul e no leste da Europa.

A agência informou que a Faixa de Gaza irá receber um lote com 20 mil doses da vacina para proteger seus rebanhos.  Um segundo lote com 40 mil doses será direcionado a cabritos e ovelhas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud