Missões de Paz podem se beneficiar de novas práticas ambientais
BR

1 maio 2012

Estudo inédito do Pnuma aponta para economia de US$ 95,5 milhões com a adoção de ações sustentáveis pelos capacetes azuis; Timor-Leste e Moçambique citados no relatório.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

As missões de paz das Nações Unidas podem poupar  mais de US$95 milhões (ou mais de R$ 181) com a adoção de ações sustentáveis. A afirmação está em um relatório lançado nesta terça-feira, pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma.

Foram dois anos de análise que geraram o estudo “Tornando Capacetes Azuis Ecológicos: Meio Ambiente, Recursos Naturais e Operações de Manutenção de Paz da ONU”.

Países Lusófonos

O Timor-Leste, país de língua portuguesa no sudeste da Ásia, é destacado pelo Pnuma por fazer “simples mudanças” de comportamento. Com práticas como apagar as luzes ou ajustar a temperatura ambiente foram poupadas 15% da energia consumida pela Missão Integrada da ONU no país, Unmit.

Moçambique também aparece no relatório como um exemplo de boas práticas a favor da sustentabilidade na atuação das missões de paz.

Restauração

O país  inspirou o envolvimento de ex-combatentes na restauração do sistema de áreas protegidas na República Centro-Africana, onde a missão local envolveu milhares de antigos guerrilheiros em atividades turísticas.

O relatório afirma que através da adoção de uma política ambiental, as missões de Paz da ONU têm uma grande plataforma para reduzir cada vez mais o seu impacto na natureza.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud