Ações sustentáveis “simples” poupariam mais de US$ 95 milhões das missões de paz

1 maio 2012

Casos de Timor-Leste e Moçambique citados em novo relatório da ONU; estima-se que US$ 32 mil milhões foram gastos em 13 missões que abordam conflitos que envolvem recursos naturais em África.

[caption id="attachment_206181" align="alignleft" width="350" caption="Soldados de paz "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de US$ 95,5 milhões seriam poupados, anualmente, com a adoção de ações sustentáveis “simples” por parte das missões de paz, segundo um relatório do Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma.

O estudo “Tornando os Capacetes Azuis Ecológicos: Meio Ambiente, Recursos Naturais e Operações de Manutenção de Paz da ONU”, foi lançado esta terça-feira, em Nova Iorque.

Mudanças

Timor-Leste é realçado pelo Pnuma por fazer “simples mudanças” de comportamento. Com práticas incluindo apagar as luzes ou ajustar a temperatura ambiente foram poupados 15% da energia consumida pela Missão Integrada da ONU em Timor Leste, Unmit.

Moçambique também aparece no relatório como um exemplo de boas práticas em prol da sustentabilidade na atuação das missões de paz.

Ex-combatentes

O país  inspirou o envolvimento de ex-combatentes na restauração do sistema de áreas protegidas na República Centro-Africana, onde a missão local envolveu milhares de antigos guerrilheiros em actividades turísticas.

O documento assinala que, através da adoção de uma política ambiental, as missões de Paz da ONU têm uma plataforma robusta para promover progressos na redução do seu impacto na natureza.

Em África, onde se encontra maior parte das missões de manutenção de paz da ONU, estima-se que US$ 32 mil milhões foram gastos em 13 missões que abordam conflitos que envolvem recursos naturais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud