Alta comissária da ONU preocupada com bem-estar de ativista chinês desaparecido
BR

27 abril 2012

Paradeiro de Chen Guangcheng é desconhecido desde 22 de abril; segundo mídial local, ele teria escapado da prisão domiciliar na província de Shandong.

[caption id="attachment_201242" align="alignleft" width="350" caption="Navi Pillay"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A alta comissária de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, afirmou que está preocupada com o bem-estar de um ativista chinês, desaparecido desde o dia 22.

Em nota, emitida nesta sexta-feira, em Genebra, Pillay contou que a segurança da família de Chen Guangcheng também é preocupante. O ativista teria sido colocado em prisão domiciliar, ilegalmente, na província de Shandong, no nordeste da China.

Defensor

Guancheng já havia expressado medo de retaliações contra a mulher e os filhos, que permaneceram no local. Ele foi libertado em setembro de 2010, após passar quatro anos na prisão por causa de seu trabalho como defensor dos direitos humanos.

Mesmo após cumprir a pena, Guangcheng e os membros da família continuaram sofrendo detenções e maus tratos, segundo os relatos recebidos pela ONU.

A alta comissária informou que o irmão e o sobrinho de Guancheng também foram presos. Ela disse que as autoridades chinesas devem investigar o tratamento dado ao ativista e aos membros da família dele, e garantir a integridade física de todos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud