Passar para o conteúdo principal

FAO preocupada com défice para apoiar Sahel e Corno de África

FAO preocupada com défice para apoiar Sahel e Corno de África

Diretor-geral da FAO alerta para perda dos recentes ganhos na criação da resistência das populações afetadas no Corno de África.

[caption id="attachment_214015" align="alignleft" width="350" caption="Foto: Unicef"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Perto de US$ 240 milhões são necessários para apoiar atividades agropecuárias no Sahel e no Corno de África, anunciou o diretor-geral da Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO.

Num discurso feito na 27ª. Conferência Regional da FAO para África, José Graziano da Silva indicou que do total, US$ 110 milhões devem apoiar agricultores, pastores e agropastores durante a presente época chuvosa no Corno de África.

Resistência

No evento, que decorreu até esta sexta-feira, em Brazzaville, a agência alertou que, a não serem disponibilizados os valores, podem ser perdidos os recentes ganhos na criação da resistência das populações afetadas.

Apesar das melhorias, registadas nos últimos meses, a FAO estima que cerca de 8,1 milhões de pessoas precisam de assistência na região que inclui a Etiópia, o Quénia, a Somália e o Djibuti.

Crise no Sahel

No Sahel, foi chamada atenção para que seja evitado o agravamento da situação de insegurança alimentar. Cerca de 15 milhões de pessoas foram afetadas pela seca e os conflitos na região.

O representante da FAO disse aos ministros e outras autoridades do continente, que cerca de US$ 50 milhões são gastos, anualmente, na importação de alimentos.

Os agricultores de pequena escala representam mais de metade da força de trabalho envolvida na produção alimentar africana.