Genocídio no Ruanda é relembrado em eventos na ONU
BR

9 abril 2012

As Nações Unidas promovem, nesta semana, uma série de atividades para marcar os 18 anos do massacre que matou mais de 800 mil pessoas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon e o presidente da Assembleia Geral, Nassir Abdulaziz Al-Nasser, farão nesta quarta-feira um discurso na sede da organização em Nova York sobre o genocídio no Ruanda.

A tragédia no país africano ocorreu em 1994, após o assassinato do presidente Juvenal Habyarimana. O massacre durou três meses, matando mais de 800 mil ruandeses das etnias tutsi e hutus.

Análises

O professor de História da África do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio, Alexandre dos Santos, falou à Rádio ONU, a partir do Rio de Janeiro, sobre o contexto e as análises do genocídio.

“O acontecimento do Ruanda fez com que o nosso olhar se tornasse menos ingênuo e que o contexto é muito mais complexo às vezes do que um simples primeiro olhar. O contexto é muito complicado, é muito mais aprofundado. Uma análise superficial às vezes não responde a perguntas que deveriam ser feitas ou preocupações que nós deveríamos ter na hora de analisar os acontecimentos que podem vir a se desenrolar em uma perseguição religiosa, política ou étnica.”

Como parte dos eventos que a ONU organiza em memória ao genocído, está a apresentação do documentário “Sweet Dreams”, dirigido e produzido pelos irmãos cineastas americanos Lisa e Rob Frutchman. A projeção, na sede das Nações Unidas em Nova York, será seguida de um debate sobre o tema.

Todos os anos, é marcado em 7 de abril o Dia Internacional em Lembrança às Vítimas do Genocídio no Ruanda.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud