Nova parceria para lançar medicamentos baratos em África

2 abril 2012

Lançada na Tanzânia, iniciativa apoiada pela OMS e a Fundação Bill e Melinda Gates pretende impulsionar relação qualidade /preço a milhões de africanos.

[caption id="attachment_209677" align="alignleft" width="350" caption="Foto: UN PHOTO"]

Camilo Malheiros Freire, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Foi lançado neste sábado, na cidade tanzaniana de Arusha, um projeto para facilitar o acesso, a baixo custo, de medicamentos por toda África Oriental.

A iniciativa é uma parceria entre organismos internacionais, que incluem a Organização Mundial da Saúde, OMS, a Fundação Bill e Melinda Gates, além do Banco Mundial.

Recursos

A parceria é tida como um ponto inicial para a implementação de um melhor sistema de distribuição de medicamentos. Entre os fatores que  condicionam a existência de remédios de qualidade em África estão os recursos humanos e financeiros escassos, infraestrutura insuficiente, e uma fraca e burocrática legislação reguladora.

O argumento principal da reunião é a necessidade de encontrar uma solução local para as necessidades africanas particularmente a  produção local de medicamentos como os antiretrovirais para o tratamento de pessoas que vivem com HIV/Sida.

Antiretrovirais

Actualmente, 80% dos medicamentos antiretrovirais são importados. Fora isso, dois terços de todos os custos relativos ao controle da Sida no continente africano são financiados por fundos estrangeiros.

O vice-diretor executivo do Programa Conjunto da ONU sobre o HIV/Sida, Onusida, Paul De Lay, disse acreditar que a criação de uma agência regulatória de medicamentos em África poderia ajudar na manutenção da luta contra a doença no continente.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud