Acordo assinado entre Onusida e Nepad para avançar na resposta a Sida em África

29 março 2012

Agências chegaram a acordo para avançar no combate à doença e na agenda do desenvolvimento do continente africano; segundo a Onusida, a África Subsaariana apresenta mais de metade dos casos mundiais de sida.

[caption id="attachment_208333" align="alignleft" width="350" caption="VIH/Sida: prevenção e tratamento em África"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

Uma estratégia de colaboração para alcançar respostas sustentáveis no combate à Sida, na área da saúde e do desenvolvimento no continente africano, são os objetivos de um acordo assinado na terça-feira, em Adis Abeba, na Etiópia.

O memorandum de entendimento foi estabelecido entre o Programa Conjunto sobre VIH/Sida, Onusida, e a agência Nova Parceria para o Desenvolvimento em África, Nepad, à margem de um colóquio que assinalava o décimo aniversário do Nepad.

Temas

Fazem parte do acordo temas como: o apoio ao desenvolvimento de pontos de vista comuns para a resposta à Sida, em particular sobre o financiamento sustentável; o aumento da acessibilidade a medicamentos contra a doença; a facilitação de políticas e parcerias para eliminar novas infeções nas crianças e a melhoria da saúde das mães; o reforço da liderança e responsabilidade nacionais; e, por fim, encorajar a cooperação Sul-Sul.

Segundo o diretor executivo do Onusida, a nova parceria permitirá uma aproximação ao objetivo de evitar novas infeções de VIH, a discriminação e morte por doença. Para isso, Michel Sidibé, disse que é necessária uma responsabilidade partilhada, maior transparência e um enfoque nos resultados.

Por seu lado, o chefe executivo da Nepad sublinhou que a liderança nacional é crítica para os progressos na resposta à Sida e no desenvolvimento na próxima década.

Os programas devem ser financiados de modo sustentável, a longo prazo e adaptados às características específicas de cada nação.

África Subsaariana

A nível mundial, o maior fardo de infectados por VIH/Sida é carregado pela África Subsaariana. Em 2010, essa regiao abrigava cerca de 68 por cento dos seropositivos mundiais, sendo que o território tem apenas 12 por cento da população mundial.

Dois terços das fontes atuais de investimento na resposta à sida naquele continente são exteriores.

De acordo com o Onusida, a África necessita entre US$ 11 e 12 mil milhões para a Resposta regional ao problema até 2015.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud