Economia moçambicana cresceu 7,4% em 2011, diz FMI

23 março 2012

Missão do FMI avalia Instrumento de Apoio a Políticas macroeconómicas e considera governo de Maputo por adotar “políticas prudentes.”

[caption id="attachment_213271" align="alignleft" width="350" caption="FMI apelou para a criação de mais empregos"]

Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, considera que a economia moçambicana cresceu 7,4% em 2011, resultante da expansão do setor mineiro e de boas campanhas agrícolas.

Segundo o FMI, Moçambique teve um forte desempenho no ano passado, apesar de uma assinalável queda da economia mundial. Em resultado, o crescimento do Produto Interno Bruto, PIB, moçambicano deverá ser semelhante ao registado em 2011.

Crescimento Inclusivo

Em comunicado, divulgado pelo chefe da missão do FMI, Johannes Mueller, elogiou o governo de Maputo por adotar “políticas macroeconómicas prudentes”.

O responsável considerou que estas têm sido dirigidas para a “preservação da estabilidade” e manutenção de um “crescimento económico elevado e inclusivo”.

Uma missão do FMI terminou na última sexta-feira uma visita a Moçambique, iniciada a 05 de março. O grupo esteve no país para fazer a avaliação no âmbito do Instrumento de Apoio a Políticas trienal, aprovado em junho de 2010.

Inflação

No final, o chefe da missão anunciou que a inflação “desacelerou de forma acentuada”, dos 16,6% registados em dezembro de 2010 para 2,5% em fevereiro último.

Segundo o responsável, este abrandamento reflete a determinação das autoridades moçambicanas no rigor das políticas fiscal e monetária, nas boas colheitas agrícolas e na fortificação da moeda.

O FMI afirma que, no ano passado, a balança de pagamentos manteve um saldo excedentário e as reservas internacionais tiveram um reforço adicional graças às exportações e ao investimento direto estrangeiro, que permaneceram fortes.

Impactos

No comunicado, o responsável disse concordar com as políticas do governo moçambicano para mitigar o possível impacto de uma desaceleração da economia global e saudou os passos dados na aplicação do segundo Plano de Ação para a Redução da Pobreza, até 2014.

O FMI apelou às autoridades de Moçambique para apostarem na melhoria da produção e produtividade agrícolas, na criação de emprego e no desenvolvimento humano e social, nomeadamente nos "sistemas reforçados de proteção social”.

A próxima avaliação do FMI a Moçambique está prevista para junho de 2012.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud