Evento no Rio de Janeiro busca consolidar cultura do voluntariado
BR

21 março 2012

Participaram da abertura, na manhã desta quarta-feira na cidade, o representante das Nações Unidas no Brasil, Jorge Chediek, e o coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Itamaraty, Milton Rondó.

Gustavo Barreto, do Rio de Janeiro para a Rádio ONU.*

As Nações Unidas no Brasil estão realizando um seminário sobre o desafio de pensar e dar respostas à grande demanda pelo trabalho voluntariado no país e nas ações do Governo brasileiro no mundo.

O evento “Perspectivas para um Sistema Nacional de Voluntariado” segue até sexta-feira. O seminário conta com o apoio do Sistema das Nações Unidas no Brasil, por meio do Programa de Voluntariado da ONU, VNU, e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, além do Unicef.

Experiências

A Secretaria Geral da Presidência da República e do Ministério das Relações Exteriores são os organizadores da reunião.

Na manhã desta quarta-feira, o coordenador residente do Sistema ONU no Brasil, Jorge Chediek, falou sobe a troca de experiências na área do voluntariado.

“O Sistema das Nações Unidas está apoiando este evento com a participação do Unicef, do Pnud, e do VNU, Programa de Voluntariado da ONU, e outras agências do Sistema. A ideia é, em primeiro lugar, apoiar o processo de compartilhamento de experiências de outros países. Ao mesmo tempo, apoiar os resultados do evento desta semana.”

Campo Humanitário

Já o coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Itamaraty, Milton Rondó, falou sobre a participação que as ações de voluntariado tem sido com a orientação do Governo brasileiro.

“A sociedade civil tem ações muito interessantes em termos de cooperação internacional, no campo humanitário e em vários outros campos. Hoje, com um governo popular e participativo, a gente tem que justamente apoiar estas ações. Este é o nosso papel”.

Rondó também falou sobre a importância de gerir recursos para o setor: “O Brasil é um país em desenvolvimento, é uma economia importante, mas ainda assim nós temos necessidade de otimizar os nossos recursos internacionais para poder ter um impacto internacional. A questão da fome está de alguma forma equacionada no Brasil, mas não no mundo. A Guatemala, por exemplo, tem 50% das crianças abaixo de 5 anos de idade com desnutrição. Uma criança morre de fome no mundo a cada dez segundos. Isso é inaceitável”.

A mesa também contou com a Presidente da ONG Parceiros Voluntários, Maria Elena Pereira Johannpeter, uma das ONGs mais atuantes no setor, com cerca de 300 mil voluntários em mais de 80 cidades no país.

Atividade

Segundo Maria Elena, no Brasil o voluntariado está maduro, contando inclusive com uma lei (9608/1998), mas ainda precisa de um marco legal – tema de um dos grupos de trabalho do evento – que impulsione as ações que já estão acontecendo.

Dados recentes do programa da ONU sobre o setor mostram que este tipo de atividade movimenta cerca de 140 milhões de pessoas em âmbito global.

Paralelamente ao seminário, será realizada a feira “Iniciativas e Diálogos sobre Voluntariado”, oportunidade para o intercâmbio de experiências e interação entre organizações e participantes do evento. A feira funcionará nos dias 22 (das 12h às 17h) e 23 (das 9h às 17h).

O Seminário 'Perspectivas para um Sistema Nacional de Voluntariado' segue até o dia 23 de março, no Palácio Itamaraty, no Rio de Janeiro. A entrada é franca.

Mais informações sobre como participar, acesse http://www.pnud.org.br/cidadania/reportagens/index.php?id01=3897&lay=cid

*Apresentação: Leda Letra, com reportagem do Unic-Rio.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud