Unicef alerta para iminência de uma catástrofe no Sahel

19 março 2012

A seca em oito países do norte de África pode resultar na morte de mais de 1 milhão de crianças nos próximos seis meses se não houver resposta aos apelos do Unicef.

[caption id="attachment_211599" align="alignleft" width="350" caption="Foto: WFP"]

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, diz que o tempo está a escassear para poder salvar mais de um milhão de crianças de um desastre na região do Sahel, em África.

Marixie Mercado, do Unicef, disse que os menores têm menos de cinco anos e estão à mercê da seca que atinge oito países desta zona de África.

Sobrevivência

O Unicef espera um aumento significativo da procura dos centros de alimentação por crianças que vão necessitar de cuidados básicos para se manterem vivas.

De acordo com o Unicef, no melhor dos cenários, perto de um milhão de crianças em situação de fome severa poderão recorrer aos centros de alimentação nos próximos seis meses. Se as condições da seca se agravarem, o número poderá ascender a 1,5 milhão de menores.

Até ao momento, o Unicef recebeu US$ 24 milhões na resposta a um apelo de US$ 119 milhões para este ano.

Risco alto

Além do fornecimento de refeições, o dinheiro é urgente para disponibilizar conjuntos contra cólera, purificadores de água, recipientes para água e antibióticos.

Marixie Mercado disse ainda que um terço das mortes de crianças na região do Sahel deve-se à falta de alimentos, embora o pico da mortalidade seja esperado durante a estação seca, que está agora a começar.

Desde Dezembro que o Unicef tem vindo a lançar alertas para a situação de emergência no Sahel africano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud