ONU estima que crise pode ter afetado 1,5 milhão de pessoas na Síria
BR

9 março 2012

Organização Mundial da Saúde diz que número tem que ser avaliado; agências da ONU devem fazer um apanhado da situação de emergência nas cidades mais atingidas pela violência política. 

 
 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York. 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que continua preocupada com a situação de civis nas áreas afetadas pelo conflito da Síria.   

De acordo com as Nações Unidas, o confronto no país árabe pode ter atingido 1,5 milhão de pessoas. O número é uma estimativa e ainda tem que ser avaliado. 

Alvo de Combates 

Os choques na Síria, entre tropas do país e opositores do presidente Bashar al-Assad, já duram um ano. O governo sírio diz que está combatendo o que chama de terroristas e “forças externas”. 

Segundo relatos recebidos pela agência, postos de saúde e hospitais estão sendo atacados. Além disso, muitos pacientes foram presos ao buscar socorro. O porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, disse que é inaceitável fazer instalações de saúde alvo dos combates. 

Segundo o porta-voz, a neutralidade de hospitais e postos de atendimento e socorro é fundamental em qualquer conflito assim como a proteção do pessoal de saúde e dos pacientes.

 Acesso 

A OMS e uma outra agência da ONU, Unfpa, estão planejando uma avaliação das emergências de cidades como Homs e a área rural de Damasco. Segundo agências de notícias centenas de pessoas morreram em Homs com os bombardeios das tropas do governo há cerca de um mês.

 A OMS informou ainda que assim que receber acesso às áreas mais afetadas, a agência precisarpa de pelo menos US$ 4 milhões, equivalentes a mais de R$ 6,8 milhões para as ações de socorro.

A subsecretária-geral de Assistência Humanitária, Valerie Amos, encerrou uma visita à Síria, nesta sexta-feira. Ela afirmou estar “horrorizada com a situação de destruição”. Amos disse ainda que está preocupada com as pessoas que tiveram que fugir de Baba Amr. Amos pediu ao governo sírio que garanta o acesso a trabalhadores humanitários para que os feridos possam ser evacuados.

Na semana passada, a ONU nomeou o ex-secretário-geral Kofi Annan, enviado especial à Síria em conjunto com a Liga Árabe. Ele já está na região e deve chegar ao país nos próximos dias.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud