Falsificação de remédios veterinários ameaça segurança alimentar, diz FAO
BR

28 fevereiro 2012

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação juntou-se à Federação Internacional de Saúde Animal para combater a comercialização de medicamentos falsos.

[caption id="attachment_211097" align="alignleft" width="350" caption="Foto: World Bank"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova York*.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO,  e a Federação Internacional de Saúde Animal formaram uma aliança para definir regras e combater a pirataria e a falsificação de remédios veterinários. A agência diz que a comercialização desses remédios ameaça a segurança alimentar.

As novas regras serão aplicadas, por exemplo, na produção de medicamentos utilizados para combater a tripanosomosis africana em animais, doença conhecida como Nagana.

Mosca tsetse

Transmitida pela mosca tsetse, a Nagana é fatal e tem capacidade para dizimar rebanhos inteiros, ameaçando comunidades africanas que dependem dos animais para sobreviver.

A Nagana é responsável por perdas mundiais de US$4,5 bilhões por ano, equivalente a R$7,6 bilhões.

De acordo com a Federação Internacional, o uso de remédios veterinários, principalmente na África, gera US$ 400 milhões por ano. O comércio não oficial dessas drogas vale outros US$ 400 milhões.

A forma de combater o fenômeno da pirataria e a falsificação é registrar os produtos e as normas farmacêuticas junto a Organização Mundial para a Saúde Animal.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud