ONU diz que líbios precisam persistir em espírito de reconciliação
BR

17 fevereiro 2012

Em nota, Secretário-Geral afirma que país precisa estar unido neste “período de transição” durante eleição do Congresso Nacional e do processo de redigir uma nova constituição.

[caption id="attachment_211754" align="alignleft" width="350" caption="Um ano da revolução na Líbia"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

As Nações Unidas afirmaram que a Líbia deve manter seu espírito de reconciliação nacional na construção de um futuro democrático. Em nota, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, lembrou que, há um ano, este parecia um “sonho distante” para o país.

No ano passado, opositores do ex-líder líbio Muammar Kadafi saíram às ruas para protestar contra o regime, que levou mais de quatro décadas no poder. Após tomarem a capital Trípoli, os rebeldes formaram o Conselho Nacional de Transição que acabou assumindo o governo líbio. Kadafi foi morto em 20 de outubro.

Redação

Para as Nações Unidas, o momento na Líbia é de “transição” e requer o apoio dos cidadãos para a eleição do Congresso Nacional e do processo de redação da nova constituição líbia.

O Secretário-Geral disse ainda que as mulheres, os jovens e a sociedade civil na Líbia têm de ser incentivadas a participar da criação de instituições transparentes e inclusivas no país.

Ban Ki-moon encerrou a nota dizendo que a transição para um regime democrático é um “período de desafios”, mas é também uma oportunidade para a construção de uma nova Líbia “que honra o sacrifício de seu povo e a luta pela liberdade.”

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud