Argentina vai ao Conselho de Segurança sobre Ilhas Malvinas ou Falklands
BR

10 fevereiro 2012

Ministro das relações Exteriores do país, Héctor Timerman, informa ao órgão, nesta sexta-feira, sobre “violações do governo britânico de quase 40 resoluções das Nações Unidas”.

[caption id="attachment_211391" align="alignleft" width="350" caption="Héctor Timerman"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Argentina deverá apresentar uma queixa formal ao Conselho de Segurança, nesta sexta-feira, sobre o que chama de “militarização da  Grã-Bretanha” na zona das ilhas Malvinas ou Falklands, no Atlântico Sul.

O ministro argentino das Relações Exteriores, Héctor Timerman, informou que relatará ao Conselho, casos de “violações de quase 40 resoluções da ONU” sobre o tema.

Conflito

Timerman lembrou que as resoluções pedem o diálogo entre os dois países para resolver, de forma pacífica, o conflito.” Há 30 anos, a Argentina e a Grã-Bretanha entraram em guerra por causa da soberania da ilha.

De acordo com o governo argentino, o ministro também falará com o presidente da Assembleia Geral da ONU sobre o tema.

Segundo a mídia local, a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner disse, na terça-feira, que informaria à ONU sobre a chegada de equipamento bélico da Marinha britânica às Ilhas Malvinas ou Falklands.

Treinamento

Ainda de acordo com a mídia, a presença do príncipe William, que faz um treinamento como piloto de helicóptero, nas ilhas também teria incomodado o governo.

De acordo com a Grã-Bretanha, a formação de William, que dura seis semanas, é parte da carreira militar do príncipe.

O chanceler argentino deve conceder uma entrevista a jornalistas logo após as reuniões, na sede das Nações Unidas, na tarde desta sexta-feira.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud