Água vale ouro na província angolana do Huíla

8 fevereiro 2012

Projeto apoiado pelo Unicef e patrocinado pela União Europeia dá frutos; mais de 2 mil lares tém agora acesso à água potável na província do Huíle; a vida da população mudou de forma radical.

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Como pode a água mudar a vida das pessoas de forma radical?

Beatriz da Encarnação pode explicar, já que antes quase tudo se atrasava em casa porque tinha de ir buscar água longe. E agora, que tem água, as mudanças são muitas...

“Agora já temos água em casa. Antes, os trabalhos da limpeza eram um bocado mais atrasado por causa do transporte de água. Mas agora, com a água em casa, é fácil. A pessoa até consegue lavar em casa.”

Beatriz agora pode complementar o dinheiro que entra em casa através da venda de gelados. Esse dinheiro usa-o para pagar a comida e as roupas dos seus três filhos.

Desafio

Para fabricar o seu gelado tradicional necessita de água, é essencial. Feito a partir de frutos da árvore baobad, os ingredientes são depois colocados em repouso durante uns dias até o produto final ficar pronto para consumo.

Há uns anos, semelhante receita seria muito difícil de fazer. Ir buscar água era um desafio em si.

As torneiras fazem parte de um projeto implementado pelo Governo de Angola em parceria com a União Europeia e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Essas torneiras servem actualmente umas dez mil pessoas na municipalidade de Matala, na província do Huíla.

Vantagens

Além das vantagens económicas, o acesso à agua traz muitas vantagens a nível da saúde. Transformou a saúde da comunidade.

Nglofi Luis, com 72 anos, é a memória viva dos tempos antes e depois da água. De acordo com o decano, doenças como a cólera e a diarreia eram pragas na aldeia. Acabaram.

"Essa água não era boa., Para nós tinha muita doença e diarreira . Ao mesmo tempo, desde que temos agua, nunca mais houve diarreia como no tempo anterior."

Esta província é um exemplo. Mas em Angola, apenas metade da população tem acesso a água potável.

Depois de 27 anos de guerra civil, o governo fez da reconstrução de infraestruturas a prioridade nacional.

IDH

Mas apesar de todo o desenvolvimento que se vê, resultado da riqueza proveniente do petróleo, os indicadores de desenvolvimento humano em Angola ainda estão atrasados.

Reconstruir um país não é fácil, a ajuda da comunidade internacional é necessária, indicou Abel da Costa, diretor da Água e Energia da Província de Huíla.

“Os investimentos que o meu governo tem para o setor são limitados e nós temos muita população para atender. Se a União Europeia pudesse financiar mais programas de água, mais projetos através do Unicef, para nós seria bom. Porque a partir daí, íamos mais facilmente, mais rapidamente tirar as pessoas da situação precária que ainda vivem. Através do financiamento do governo, iremos chegar lá sim, mas ainda vai levar muito tempo.”

Matala é um exemplo em como ter acesso à água pode mudar vidas de forma radical. Repetir esta experiência no resto do país é um desafio, que tem mais vantagens que desvantagens.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud