ONU indica que são 80 mil os necessitados de ajuda alimentar urgente no Sudão do Sul

1 fevereiro 2012

De acordo com o Programa Mundial de Alimentação, as operações de assistência vão ser interrompidas em março, quando a estação das chuvas chegar e as estradas se tornarem intransitáveis; as vítimas vivem em 10 regiões do estado do Jonglei, na região leste do Sudão do Sul.

[caption id="attachment_208703" align="alignleft" width="350" caption="Desafios do novo país são vários"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, reviu em alta o número de pessoas com necessidades alimentares urgentes no Sudão do Sul – são agora 80 mil em vez das estimadas 60 mil.

De acordo com a agência da ONU, a recente escalada da violência inter-comunitária no estado do Jonglei, no leste do país, provocou mais vítimas do que estimado.

De acordo com o vice-diretor-executivo do PMA, Ramiro Lopes da Silva, a violência é apenas um dos muitos desafios do Sudão do Sul, e o mundo deve responder de forma a garantir à população desta nova nação o apoio necessário para criar um país pacificado e próspero.

Assistência

O PMA considera que o pico da violência no estado do Jonglei foi alcançado no início de janeiro. Para fazer face ao aumento do número de necessitados, a agência está a providenciar rações alimentares para 15 dias a todas as pessoas confirmadas como deslocadas e vítimas de violência.

Em simultâneo, a agência está a conduzir levantamentos mais profundos sobre as necessidades alimentares da população afetada. Um trabalho feito em conjunto com outras agências humanitárias.

Logística

O programa das Nações Unidas está a ser apoiado por helicópteros, uma aeronave e 28 camiões na distribuição da ajuda, que inclui ainda material de assistência médica.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud