Ex-líder pode não responder por violações de direitos humanos no Haiti
BR

31 janeiro 2012

Em nota emitida pelo porta-voz, a alta comissária da ONU Navi Pillay afirmou que está “decepcionada” com relatos de que ex-presidente Jean-Claude Duvalier só será julgado por corrupção financeira.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU emitiu uma nota manifestando “profunda preocupação” com relatos de que o ex-presidente do Haiti só será julgado por alegações de corrupção financeira.

Jean-Claude Duvalier, também conhecido como Baby Doc, retornou ao Haiti em janeiro do ano passado, pouco antes de ser preso e acusado de violações dos direitos humanos e outros crimes.

Milícias

Baby Doc, que passou 15 anos no poder até 1986, é responsabilizado pelos atos das milícias Tontons Macoutes, que incluem violência e intimidação.

Em nota, o porta-voz da alta comissária da ONU Navi Pillay lembrou que entre as alegações que pesam contra Duvalier estão tortura, assassinatos, estupros e outros crimes.

Navi Pillay disse que o Haiti tem obrigação de investigar os casos, que foram documentados, e de julgá-los, levando os responsáveis à justiça.

Ela terminou a nota dizendo que a impunidade para crimes tão sérios não pode prevalecer.

Para Navi Pillay não haverá uma reconciliação e perdão verdadeiros, no Haiti, sem justiça.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud