Tribunal indicia vice-premiê do Quênia por crimes contra a Humanidade
BR

23 janeiro 2012

Uhuru Kenyatta, que também é ministro das Finanças, enfrentará processo ao lado de mais três quenianos pela violência pós-eleitoral no país africano, em 2007; todos negam as acusações.

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova York.*

O Tribunal Penal Internacional, TPI, indiciou, nesta segunda-feira, quatro quenianos por crimes contra a Humanidade. Eles são acusados de participar da violência política pós-eleitoral no Quênia, em 2007.

Os choques entre simpatizantes dos dois candidados finalistas no pleito causaram a morte de mais de 1,2 mil pessoas. A violência forçou 600 mil a abandonarem suas casas.

Candidato à Presidência

Entre os indiciados, está o vice-primeiro-ministro do Quênia, ministro das Finanças e candidato à presidência do país, Uhuru Kenyatta. Os outros três são o chefe do gabinete dele, Francis Mutaura, o ex-ministro da Educação, William Ruto, e o radialista Joshua Arap Sang.

Mutaura também é candidato à presidência do Quênia. Todos os indiciados negam as acusações. Nesta segunda-feira, o Tribunal em Haia decidiu desmembrar o julgamento. Kenyatta e seu chefe de gabinete enfrentarão o mesmo processo; já Rutto e Arap Sang serão julgados juntos. Os dois estão sendo acusados de financiar e organizar homicídios e perseguições.

O promotor-chefe do TPI, Luis Moreno Ocampo, decidiu criar dois casos diferentes para refletir as divisões políticas e étnicas no Quênia durante a violência pós-eleitoral.

As próximas eleições presidenciais do país estão marcadas para 2013.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud